quinta-feira, 19 de setembro de 2013


Eu tenho frio, clima que tornou-se tão concreto que hoje me pertence. Sinto falta do teu corpo quente na quinta-feira. Não me interessam as frias camisolas de cetim, de segunda a quinta me conforta sua camiseta de algodão esquecida propositalmente no canto esquerdo da cama. Juntos, nus, acordamos suados pelos corpos que queimaram na madrugada erotizada. Mas hoje, já fazem quatro dias, minhas pernas tremem de frio e ansiedade diante da espera desesperada pelo encontro de nossas carnes.


Bruna Berri

Nenhum comentário: